in

The OC supera trauma e finaliza honrando a trajetória

Warner
Publicidade

The OC foi um seriado teen que marcou o início dos anos 2000, trazendo a história de Ryan, um garoto da periferia de Los Angeles, que embora fosse inteligente e dotado de um senso de  moral elevado para sua idade, estava inserido em um contexto de marginalização, tendo um pai ausente, um irmão com múltiplos delitos e uma mãe alcóolatra presa em uma relação doentia e abusiva. E isso começa a mudar quando seu destino se cruza com o de Sandy Cohen, um defensor público idealista que impede que ele vá preso e acaba ajudando a vida do jovem Ryan, chegando a trazê-lo para a casa.

Unindo drama e comédia, o espectador acompanhou a trajetória de Ryan, da família Cohen e a vida dos abastados de Orange County, especialmente Newport, durante quase meia década, até que uma morte de um dos protagonistas abala a série, sua audiência e o amor incondicional dos fãs, que faz com que a série vá minguando, episódio a episódio, até encontrar seu final uma temporada depois.

Publicidade

Esse final prematuro foi, durante muito tempo, exemplo do que não se fazer em Hollywood: uma série de sucesso nas mãos, personagens bem entrosados e de repente se coloca uma reviravolta no enredo que muda drasticamente algo que vem dando certo há anos. Contudo, o que acontece e que pouca gente sabe é que o intérprete desse personagem que foi morto de forma desconcertante estava enfrentando tamanhos problemas em sua vida pessoal, que tornou insustentável a continuidade da linha narrativa até então adotada, forçando os roteiristas. 

Passado o preconceito (e quase duas décadas do seu final), a chance de ver a temporada final da série, atualmente na Netflix em sua integralidade, é uma segunda chance de deixar para trás o preconceito e ver como os roteiristas fizeram, literalmente de tudo, para tentar manter o interesse e o espírito da série vivo, tanto que analisando com um certo distanciamento pessoal, o final da série endereça, e bem, o final dos personagens, à revelia da morte evitável, e consegue honrar o que a série foi durante sua breve existência.

Publicidade

A título de curiosidade, a série deixou tantos aprendizados que seu produtor, McG, está há 15 anos à frente de Supernatural, fez Shadowhunthers, enquanto que Bem McKenzie brilhou como uma jovem Gordon em Gotham, e até o odiado McComarck achou seu caminho de volta às telinhas com o simpático Dr. Hippie em Grey´s Anatomy. 

Publicidade
Avatar

Escrito por Bene!

Um curioso acima de tudo. Amante das artes, busco viver sem rótulos e explorar o que a alma pede. Escrevo sobre o que gosto, amo, odeio, me faz pensar e me faz sentir. Espero que minhas ideias, palavras e ações sejam meu legado. Bem vindos e espero que gostem. Críticas, dúvidas e sugestões: falecomobene@gmail.com

Next post

Resumo Cúmplices de Um Resgate (03/10): Lurdinha vira alvo de disputa

Resumo As Aventuras de Poliana (03/10): segredo de Glória é descoberto por Roger