in

Resumo Cabocla (Viva) 13/11: Emerenciana é flagrada por Boanerges com cartas de Neco

Canal Viva
Publicidade

Em Cabocla, no Viva, nesta quarta-feira, 13 de novembro, Boanerges flagra Emerenciana com várias cartas de Neco.

Ainda neste capítulo, Boanerges avista Belinha proseando com Mariquinha, filha de Justino. Ao conversar com Mariquinha, Boanerges recebe os parabéns da jovem, que fica admirada com a atitude dele.

Publicidade

Aconselhando o tio, Luís diz que ele deve trazer Neco para seu lado, sendo uma importante aliança para sua família. Xexéu procura Justino, alegando que Boanerges andou conversando com o delegado, na tentativa de descobrir alguma coisa.

Emerenciana conversa com Belinha sobre Neco

Enquanto isso, Pequetita desabafa com Joaquim, alegando que gosta mais da companhia dele, pois Luís nem liga para a presença dela. Boanerges flagra Emerenciana lendo as cartas que Neco escreveu para Belinha.

Publicidade

Posteriormente, Emerenciana conversa com a filha sobre Neco, mas a menina garante que terminou o relacionamento com o rapaz, não querendo causar mais sofrimento na família. Julieta comenta com Mariquinha sobre a ira de Tobias.

Em Cabocla, Zuca recebe ideia de Bina

A jovem diz que o caboclo é capaz de matar o pai dela, caso insista em querer tomar tudo que ele tem. Sincera, Zuca deixa claro para sua mãe, que não conseguirá se casar com Tobias. Sendo assim, Bina aconselha sua filha.

A cozinheira pede para ela fazer Tobias pegar ranço, não querendo mais seguir com o compromisso. Neco afirma para Mariquinha que Justino está empenhado em conseguir as terras de Felício. O rapaz tem certeza que ele não desistirá de ter tudo que é da família de Tobias.

Publicidade
Avatar

Escrito por Rômulo NC

Ator, youtuber e redator, Rômulo N.C é formado pela casa de artes cênicas Recriarte e sempre atuou como escritor de diversos sites.

Next post

Resumo Selva de Pedra (Viva) 13/11: Caio é procurado por Miro, que quer delatar Cristiano

Avenida Brasil (Globo): Nina envia bilhete para Tufão, relatando plano macabro de Carminha