in

Opinião sincera sobre a última temporada de Supernatural

Publicidade

Essa semana será a última com episódio inédito da décima quinta temporada de Sobrenatural do ano. Isso porque como de costume, a série irá dar uma parada para a chegada do ano novo e assim, soltará o famoso middle season.

Esses episódios geralmente são mais movimentados e tentam instigar a curiosidade dos fãs para possíveis novos acontecimentos e o futuro de cada personagem. Porém para o caso de Sobrenatural o middle season terá uma função muito mais importante: salvar, o que até aqui, uma última temporada bem abaixo do esperado. 

No final da décima quarta temporada fomos apresentados ao fim de tudo, com Deus colocando um ponto final naquele universo do Dean e Sam no qual conhecemos. E se o clima era apocalíptico alí, o início da décima quinta temporada não pareceu tão apocalíptico assim. Com um roteiro preguiçoso e cheio de conveniências, Dean e Sam conseguiram em poucos episódios fechar o portão do inferno (tudo bem, com um sacrifício importante) e trancar de volta os…os…fantasmas? Nem isso o roteiro se preocupou em explicar bem, afinal se o portão do inferno foi aberto, vários seres escaparam, mas a série achou suficiente citar apenas os fantasmas, enfim. 

Publicidade
Publicidade

E após essa “batalha” o que vimos foi um amontado de episódios sem evolução de história ou personagem, algumas crises existenciais daqui, o aparecimento de personagens antigos dali e foi isso, muito pouco. Em sete episódios de temporada, a sensação é que a série não saiu do lugar, Castiel segue sem seus poderes, Dean segue desesperançoso com tudo e Sam segue querendo lutar.  

Ah, e nem sinal de Jack, a morte ou Lúcifer, os episódios passam, deixam transparecer que tudo está sob controle de Chuck e nada é desenvolvido. No sétimo episódio finalmente os irmãos juntos de Castiel descobriram a ligação da ferida em Sam com Chuck, esse pode ser sim o divisor de águas da temporada e marcar a passagem para uma fase mais intensa da despedida da série, mas convenhamos, mesmo que realmente ocorra, sete episódios de enrolação foi muita coisa, a série merece mais. 

Nos resta aguardar e torcer por um desfecho digno e que condiz com toda a história da série. 

Publicidade
Avatar

Escrito por Evandro

O mundo do entretenimento é a minha vida.

Next post

Resumo O Rico e Lázaro (RecordTV) 13/12: Joaquim é acusado de traição por Nabucodonosor

Amor de Mãe (Globo): Álvaro quer tirar Davi do seu caminho de uma vez por todas