in

Resumo Éramos Seis (10/02): Lola fica feliz por poder quitar sua dívida no banco

Globo
Publicidade

Em Éramos Seis, no capítulo desta segunda-feira, 10 de fevereiro, exibida na tela da Globo, Lola fica feliz ao saber que poderá quitar sua dívida com banco.

Neste mesmo capítulo, Lola, conversando com Clotilde, comenta com ela que poderá pagar a dívida de sua casa com o dinheiro que Carlos lhe deixou, mesmo não estando contente com tudo que aconteceu. Isabel toma a difícil decisão de se afastar de Felício.

A jovem acredita que será melhor para eles ficarem longe um do outro. Shirley decide ir atrás de Inês para que possam acertar suas diferenças. Lola e Durvalina consolam uma, a outra por conta da morte de Carlos. Lili toma a decisão de começar a trabalhar para poder ajudar Julinho com a organização do casamento deles.

Publicidade
Publicidade

Em Éramos Seis, Alfredo resolve se encontrar com Karine

Enquanto isso, Lúcio, Alfredo e Nero garantem um para o outro que não irão deixar de lutar na política, tendo o direto de viverem em um país mais justo, como mais oportunidades e igualdade para todos. Zeca e Olga, conversando com Tavinho, arrumam maneiras para explicar como Carlos morreu.

No mesmo dia, Alfredo decide se encontrar com Karine. Lola, conversando com Afonso, comenta com ele que Carlos tinha um dinheiro guardado, que será usado para quitar o restante da dívida que falta para pagar a casa.

Afonso decide acompanhar Lola até o banco

Lola, acompanhada de Afonso, decide dar um pulo no banco para quitar sua casa de uma vez por todas, não deixando mais nenhuma pendência. Éramos Seis, atual novela das seis, vai ao ar de segunda a sábado, por volta das 18h30. 

Publicidade
Avatar

Escrito por Rômulo NC

Ator, youtuber e redator, Rômulo N.C é formado pela casa de artes cênicas Recriarte e sempre atuou como escritor de diversos sites.

Next post

Lembra da Thalia? Ela chorou na TV por causa de namorado que morreu com doença grave

Lembra da Tia Perucas, de Carinha de Anjo? Você vai chorar com as injustiças que ela viveu