in

As Panteras se perde no feminismo para filme abaixo da média

columbia pictures
Publicidade

As panteras foi um grande sucesso em 1976, na tv americana, e lançou ao estrelato Farrah Fawcett, eterno sex symbol, durando 5 anos na televisão. Nos anos 2000, a franquia foi revisitada com um trio de respeito: Lucy Liu, Cameron Dias e Drew Barrimore (além do impagável Bill Murray), que fizeram sucesso em dois filmes. Quase vinte anos depois, foi a vez de Elizabeth Banks tentou ressuscitar a franquia.

Publicidade

As Panteras de 2019 traz, além da própria Elizabeth como Bosley, Kristen Stewart e outras duas atrizes menos conhecidas. Também há um grande elenco de apoio, como Patrick Stewart, o queridinho Noah Cantineo e outros rostos conhecidos do grande público. A intenção desse novo remake é clara: empoderamento feminino acima de tudo, a ponto do pouco entusiasmo dos públicos ter gerado reclamações feministas nem sempre embasadas da diretora.

Publicidade

A verdade é que o filme é fraco. Ele tenta internacionalizar a franquia, tipo um Man In Black International, para justificar vários Bosleys como um cargo, voltando aos filmes de espiões tipo Bond e colocando uma mulher pela primeira vez no comando. Nada contra, mas falta química entre as panteras e sua chefe.

Isso para não falar do casting. Parece que capricharam no elenco de apoio e esqueceram do principal, fazendo com que a narrativa deslocasse sua atenção muitas vezes para que os bons atores tivessem seu espaço, enterrando assim as fraquíssimas protagonistas femininas, ainda que a intenção da diretora tenha sido fazer o contrário.

Publicidade

Tivesse escolhido alguém melhor que Kristen, sempre abaixo da média, falhando em ser sexy, poderosa ou canastrona. Parece modelo atuando. Ella Balinska até que se sai bem, ainda que o destaque seja mais do que pode segurar. Banks também sai bem em comédia, mas parece deslocada em filme de ação com pretensas surpresas. Sobrou para Naomi Scott, a mais versátil de todas, ser a melhor atuação do elenco principal. E olha que ela veio de Power Rangers.

Mulheres fortes estão e precisam estar em evidencia, e já demorou para isso. Mas não basta fazer qualquer coisa e reclamar de machismo por não endossar um filme sessão da tarde. A precisão, sutileza e charme das anjas do Charlie de 2000 em nada se compara com as jagunças de Banks.

Publicidade
Avatar

Escrito por Bene!

Um curioso acima de tudo. Amante das artes, busco viver sem rótulos e explorar o que a alma pede. Escrevo sobre o que gosto, amo, odeio, me faz pensar e me faz sentir. Espero que minhas ideias, palavras e ações sejam meu legado. Bem vindos e espero que gostem.

Next post

Participante do Big Brother desiste do reality show ao descobrir coronavírus em familiar

Resumo Fina Estampa (23/03): Antenor humilha Griselda