in

Bolsonaro toma atitude polêmica e âncora do JN critica: ‘Imoral e quase criminoso’

Reprodução Globo
Publicidade

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tomou uma decisão considerada polêmica na manhã desta quarta-feira (21). Depois de o Ministério da Saúde anunciar a intenção de comprar 46 milhões de doses da chamada Coronavac, a vacina chinesa contra a Covid-19, Bolsonaro desautorizou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e vetou a aquisição.

Bolsonaro postou mensagem nas redes sociais dizendo que não compraria a “vacina chinesa de João Doria”. O governador de São Paulo é visto como o “pai” dessa vacina porque ela é produzida pelo laboratório Sinovac, da China, em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo.

Jornalista da Globo critica Bolsonaro

O jornalista Flavio Fachel, âncora do Jornal Nacional nas folgas de William Bonner e que atua na Globo Rio, criticou o presidente Jair Bolsonaro pelo Twitter. As declarações do jornalista chamaram a atenção e repercutiram. Ele não poupou palavras ao se referir ao presidente.

Publicidade
Publicidade

“Nenhum presidente, seja ele qual for, não tem autoridade suficiente para abrir mão de qualquer vacina para a Covid-19, venha ela de onde vier. É imoral e quase criminoso pretender isso”, disse Fachel pelo Twitter. Não é comum jornalistas da Globo se manifestarem dessa forma.

Os internautas se dividiram nas repostas. “A paranoia ideológica do Bolsonaro está levando o país para o fundo do poço e os pessoal do congresso assiste a tudo calados ou achando graça”, comentou um homem, concordando com Fachel. “Precisamos de uma vacina eficiente, meu caro. O Presidente Jair Bolsonaro esta corretíssimo”, comentou outra pessoa.

Publicidade
Diogo Marcondes

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post