in

‘Matei os neurônios do meu filho’: Larissa Carvalho, a mãe que fez desabafo comovente enfrenta novo desafio

Vix/Montagem Shyrlene Pereira
Publicidade

A mãe que fez o desabafo dizendo que matou o neurônio do filho enfrenta nova luta. A jornalista Larissa Carvalho, da Rede Globo, foi buscar ajuda depois de ter percebido que aos cinco meses, o filho não estava se desenvolvendo como o esperado. Ela contou que começou a buscar informações e entender o que estava acontecendo com a criança.

Na época, ela recebeu o diagnóstico de paralisia cerebral que foi provocado pela própria alimentação. A doença rara do pequeno Théo poderia ter sido identificada de maneira precoce logo após o nascimento e sendo tratada não haveria nenhum tipo de sequela na criança. Sem nenhum problema diagnosticado no pré-natal e com um parto dentro da normalidade, o desenvolvimento de Théo preocupava a família.

Depois de muita investigação , uma tomografia finamente revelou que Théo havia perdido neurônios em parte do seu cérebro. Larissa, que é repórter da TV Globo Minas, contou com detalhes tudo que viveu em uma palestra. Ela contou que depois do baque de saber o problema da criança, os profissionais deram início a investigação sobre o que teria provocado a paralisia no cérebro. A conclusão da mãe deixou todos chocados com a declaração: “Eu matei os neurônios do meu filho”, disse Larissa.

Publicidade
Publicidade

Théo foi diagnosticado com acidúria glutárica, uma doença genética que afeta uma a cada 30 mil crianças. Ela consiste na incapacidade da criança de conseguir digerir proteínas de forma adequada. “Todo mundo tem umas ‘tesourinhas’ dentro do corpo. Uma vai ‘cortar’ a gordura, outra vai ‘cortar’ uma vitamina, e tem a ‘tesourinha’ que ‘corta’ a proteína – mas a dele não funciona bem”, explicou a jornalista durante a sua participação no programa Encontro, da apresentadora Fátima Bernardes.

A doença faz com que o corpo não consiga digerir de forma correta a proteína dos alimentos e começar a liberar um ácido que danifica o sistema nervoso central. O que aconteceu com o garotinho desde a sua primeira amamentação. Quando perguntou aos médicos como poderia ter ficado sabendo da doença, o profissional explicou que é possível identificar através do teste do pezinho.

No caso do filho da jornalista isso não ocorreu devido ao teste que é feito no Brasil. Se feito na rede privada, o teste do pezinho pode identificar mais de 50 doenças que, quando são diagnosticadas precocemente podem ser tratadas. Já no SUS, o teste só cobre apenas seis doenças.

Jornalista enfrenta novo desafio

Théo é uma criança feliz, mas precisa de cuidados integrais, pois não anda e nem fala. Atualmente, o desafio de Larissa é tentar evitar que outras crianças passem pela mesma situação. Hoje, a luta de Larissa é para que seja possível ao menos uma melhor informação, bem como a questão da ampliação do teste para o SUS – Sistema Único de Saúde. Ela está tentando chegar a um milhão de assinaturas para que o governo possa se organizar e realizar o rastreamento de mais enfermidades através do teste do pezinho.

Publicidade
Shyrlene Souza

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.

Next post