in

Após noticiário pesado, Bonner e Renata encerram Jornal Nacional cabisbaixos e tristes

Reprodução Globo
Publicidade

William Bonner e Renata Vasconcellos têm a missão diária de serem a voz de milhões de brasileiros. Após a morte de um homem negro em um supermercado de Porto Alegre, muitos brasileiros estavam ansiosos pela cobertura que o Jornal Nacional faria sobre o caso.

Desde as manchetes iniciais anunciadas na escalada, o telejornal mais assistido da TV brasileira deu amplo destaque a tudo o que aconteceu no supermercado da rede Carrefour onde João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi agredido por seguranças e morto.

O caso repercutiu em todo o Brasil a partir das redes sociais e vídeo das agressões passaram a circular por Facebook, Instagram, Twitter, além de ser exibido em telejornais. As imagens, fortes, causaram repulsa em muita gente. Os seguranças, um de 24 e outro de 30 anos, foram presos.

Publicidade
Publicidade

Magno Braz Borges
e Giovane Gaspar da Silva prestavam serviço para o Carrefour por meio de uma empresa terceirizada. Ambos foram presos e devem responder por homicídio triplamente qualificado. Um deles atuava como policial militar temporário. Além desse caso, o JN também mostrou que o Brasil ultrapassou a marca de seis milhões de casos de Covid-19 e a média móvel d e mortes segue alta.

Bonner e Renata encerram JN cabisbaixos

Após a chamada para a série sobre negros que a Globo exibiria depois da novela, Renata e Bonner encerraram o telejornal. “Depois do especial Falas Negras tem a Sessão Globoplay e o Jornal da Globo. Boa noite”, disse Bonner, com semblante sério. “Boa noite e bom fim de semana”, afirmou Renata, também com tom sóbrio e sério. Em seguida, a trilha do Jornal Nacional foi executada normalmente.

Publicidade
Diogo Marcondes

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post