in

Exclusivo: Justiça marca para 31 de março o teste de sanidade mental do invasor da Globo

Portal T5
Publicidade

A Justiça  do Rio de Janeiro, por meio da 23 Vara Criminal, determinou a data para realização do exame de sanidade mental de Thomas Rainer Francisco Rosa, de 25 anos. No dia 10 de junho de 2020 o rapaz invadiu com um faca os estúdios da TV Globo, no Jardim Botânico, Zona Sul da cidade, e tomou como refém a repórter Marina Araújo. Uma grande negociação foi feita entre o invasor e a polícia, que contou com a presença da jornalista e âncora do Jornal Nacional Renata Vasconsellos. Isso porque Thomas impôs como condição a presença da jornalista, alegando querer vê-la em sua data de aniversário.

O exame será determinante para que a Justiça decida se Thomas ficará preso ou, uma vez qualificado como portador de alguma deficiência mental, seja encaminhado para um centro de internação. Por esse motivo, a juíza do caso determinou a suspensão do julgamento até que o exame seja realizado. Entretanto, devido à periculosidade do acusado, determinou que seja mantida a prisão preventiva. 

De acordo com a denúncia do Ministério Público, Thomas Rainer agiu de forma livre, consciente e voluntária, privou a liberdade de Marina Araújo que trabalhava no local mediante o crime de sequestro, com emprego de uma faca, sendo o crime também praticado com fins libidinosos. Isso porque no depoimento da jornalista, Marina afirmou que o acusado pressionava suas partes íntimas contra ela enquanto proferia palavras obscenas em seu ouvido.

Publicidade
Publicidade

Depoimento Marina Araújo

A coluna tece acesso exclusivo aos depoimentos dados à polícia por Marina, Renata e o diretor de jornalismo Ali Kamel. Confira primeiro  o termo de declaração registrado pela Marina após ter sido feita refém com uma faca no pescoço por cerca de 40 minutos.

“Que a declarante é jornalista e trabalha na rede globo na sede situada na Von Martius, 22, Jardim Botanico. Que no dia 10JUN2020, por volta das 14h00min a declarante saiu de casa no Leblon de Uber com destino ao trabalho; As 14h e 48MINmin a declarante entrou no saguão de entrada e parou próximo a roleta para pegar seu crachá e passar. QUE neste momento enquanto procurava seu crachá na bolsa um homem, identificado posteriormente como THOMAS RAINER FRANCISCO ROSA, veio por trás da declarante e a imobilizou, aplicando golpe conhecido como “mata-leão” e colocou uma faca em seu pescoço. QUE neste momento a declarante pediu “fica calmo, farei tudo que você quiser, apenas vou pegar meu crachá”. QUE THOMAS, extremamente nervoso, começou a gritar e apressar a declarante para que esta passasse o crachá para entrarem. QUE a declarante liberou a roleta e ambos entraram na parte interna da sede, porém em nenhum momento THOMAS largou o pescoço da declarante, nem tirou a faca de seu pescoço. QUE os seguranças da rede globo iniciaram um diálogo com THOMAS tentando acalmá-lo, porém este bradava a todo momento que queria ficar ao vivo e abraçar a jornalista Renata Vasconcellos. QUE a declarante acrescenta que enquanto negociação evoluía THOMAS ficava cheirando o pescoço dela por trás, pressionava as partes íntimas nas costas da declarante, falava que a declarante era linda, entre outras. QUE THOMAS reforçava sempre que queria entrar ao vivo, que a câmera apontada para ele com a luz vermelha não significava nada e que só acreditaria se se visse na televisão. QUE a declarante informa que THOMAS só acalmou quando conseguiu se ver em um televisor próximo a sua imagem. QUE passados 10 a 15 minutos policiais militares chegaram no local e assumiram a negociação com THOMAS. QUE um dos policiais militares negociadores, que a declarante não se lembra exatamente qual, pediu para que THOMAS afrouxasse um pouco o mata-leão e afastasse um pouco a faca do pescoço da declarante, porém sempre que isso era pedido THOMAS apertava ainda mais a faca no pescoço da declarante. QUE outro policial militar pediu para THOMAS que o levasse no lugar da declarante, porém THOMAS disse que preferia mulheres. QUE neste momento a declarante ficou muito preocupada pois aparentava que queria satisfazer sua lascívia, que a conduta de THOMAS possuía um viés sexual. QUE outro policial militar, Cel. Heitor, chegou para comandar a negociação e de forma mais incisiva, falou para THOMAS que resolveria o “problema” dele e perguntou o que ele queria exatamente. QUE THOMAS falou que era aniversário da jornalista Renata Vasconcellos e que queria abraçá-la. QUE Cel. Heitor informou que procuraria Renata Vasconcellos, porém disse a THOMAS que Renata não o abraçaria se ele tivesse com uma faca e mantendo uma refém. QUE Cel. Heitor conseguiu convencer THOMAS de que se no momento que Renata aparecesse THOMAS deveria jogar a faca no chão e liberar a declarante. QUE poucos minutos depois Renata Vasconcellos apareceu no corredor, acenou para THOMAS e neste exato momento THOMAS largou a faca e a declarante. QUE Cel. Heitor se aproveitando da situação conseguiu capturar THOMAS. QUE a declarante acrescenta ainda que em nenhum momento informou uma motivação política ou qualquer outro que não ver e abraçar a Renata Vasconcellos. QUE a declarante expõe estar apreensiva com sua segurança pois, por ser repórter, trabalha na rua e não possui segurança pessoal quando não está exercendo o seu trabalho.”

Depoimento de Ali Kamel

“Que o declarante trabalha como diretor de jornalismo na empresa Globo situado na Rua Vo Martius,22, Jardim Botânico. QUE no dia 10JUN2020 às 14h e 53min o declarante estava em sua sala quando fora informado pelo seu colega de trabalho, Sr. Carlos Vinicius de Oliveira Menezes, que a jornalista Marina de Araújo estava sendo mantida como refém no saguão de entrada pois o sequestrador exigia a presença da jornalista Renata Vasconcellos pois. QUE prontamente o declarante se dirigiu ao local e ao chegar encontrou o saguão extremamente cheio de funcionários e Marina sendo dominada por um homem, identificado posteriormente como THOMAS RAINES FRANCISCO ROSA, aplicando um golpe conhecido como mata-leão e encostando uma faca no pescoço dela. QUE o declarante percebendo que a situação estava tumultuada pelo excesso de pessoas pediu para que todos saíssem, mantendo apenas no local algumas poucas pessoas essenciais, como por exemplo Sr. Carlos Vinicius, Sr. Miguel Athayde (marido da jornalista Renata Vasconcellos), e outros funcionários operadores de câmera, visto que Thomas pediu que a situação fosse passada ao vivo na emissora globo. QUE imediatamente após policiais militares chegaram no local e tomaram as rédeas da negociação de maneira incisiva e dando as ordens necessárias. QUE o declarante acrescenta que percebia a tentativa de Thomas em se aproveitar da proximidade com Marina e a beijava no pescoço, cheirava seus cabelos e inclusive colocava suas partes íntimas nas costas de Marina. QUE os policiais militares pediram que todos se afastassem para que pudessem negociar deixando Thomas mais tranquilo. QUE o policial militar, Cel. Heitor, que comandava a negociação pediu para que o declarante chamasse Renata Vasconcellos pois precisava dar algo para conseguir negociar a rendição de Thomas. QUE o declarante seguindo as orientações do negociador pediu para que Renata fosse chamada. QUE no momento que Renata apareceu no campo de visão de Thomas este largou a faca e Marina e, se aproveitando, da situação cel. Heitor conseguiu captura-lo. QUE no momento da captura o declarante percebeu a frustração de Thomas de não ter conseguido o abraço de Renata, razão pelo qual crê que Thomas possa tentar novamente. Nada mais havendo, mandou a Autoridade Policial encerrar o presente Termo.”

Publicidade
Publicidade
Alessandro Lo-Bianco

Escrito por Alessandro Lo-Bianco

Passou pelas redações da BandNews, Editora Abril, Jornal O Dia, Rádio CBN, Jornal O Globo e RecordTV. Autor de 11 livros, é atualmente colunista do programa A Tarde é Sua da Rede TV! Tem nove prêmios de Jornalismo, dois cachorros e é pai de menina.