in

Vídeo: Gabigol dá invertida em policial após pergunta inusitada durante sua detenção em cassino clandestino

Reprodução - Redes Sociais
Publicidade

Protagonista na equipe do Flamengo, o atacante Gabriel Barbosa, o Gabigol, se envolveu em uma grande polêmica na madrugada deste domingo (14). O camisa 9 do Fla e outras 200 pessoas participavam estavam em um cassino de luxo localizado na Zona Sul de São Paulo. O goleador rubro-negro foi encontrado em baixo de uma mesa, tentando se esconder.

Além dele, outro famoso estava no local no momento da operação: o funkeiro MC Gui. Todos foram encaminhados para a delegacia, onde prestaram depoimento e posteriormente foram liberados. 

Pergunta e invertida

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o exato momento em que Gabigol entra na viatura da polícia. Durante a sua saída do cassino até o veículo, um agente fez um questionamento se o atleta iria entrar em campo neste domingo (14), no Fla-Flu, válido pela Taça Guanabara, e foi imediatamente rebatido pelo camisa 9 rubro-negro. 

Publicidade
Publicidade

 “Vai participar do jogo hoje?”, perguntou o policial, recebendo a invertida de imediato: “Não, mano! Pergunta idiota do cara**”. Veja o vídeo.

Diante do cenário ininterrupto do futebol no Brasil, o Flamengo resolveu dividir o grupo de jogadores para dar alguns dias de férias. Gabigol e boa parte dos titulares da última temporada estão descansando e farão a reapresentação na Gávea na próxima segunda-feira (15).

Soberba

Em entrevista ao jornalista Milton Neves, na Rádio Bandeirantes, o delegado Nico revelou que o jogador do Flamengo foi arrogante com os policiais. 

“Ele falava com um ar de superioridade. Chegou a dizer que nós que causamos o tumulto. Ele pode ser o Gabigol ou quem for. Foi conduzido mesmo assim”, disse o delegado.

Fechado

A operação que acabou na detenção de Gabigol, MC Gui e outras pessoas que estavam no local também culminou no fechamento do cassino, uma vez que jogos de azar são proibidos no país.

Além da ilegalidade no seu funcionamento, o estabelecimento situado no bairro nobre da capital paulista ainda vinha desrespeitando o decreto estadual que proíbe festas e aglomerações por conta da pandemia do coronavírus. 

Publicidade
Publicidade