in

Cabras da Peste resgata o frescor do cinema nacional

netflix
Publicidade

O Ceará é conhecido como um grande celeiro do humor nacional. Também pudera. De Chico Anyzio a Tom Cavalcante, passando por Renato Aragão e dezenas de nomes, sejam em teatro, stand up, novelas e filmes. E agora é a vez de Edmilson Filho, que estrela a nova comédia da Netflix, Cabras da Peste, após ter feito sucesso com Cine Hollyúdi.

Cabras da Peste conta a curiosa história de um policial do interior do Ceará, Bruceuillis, que persegue um caminhão que havia sequestrado a cabra da cidade até São Paulo, onde acaba envolvido em uma grande operação junto com o covarde escrevente Trindade, interpretado pelo excelente Matheus Nachtergaele. O problema é que o medo de Trindade fez com que ele fosse um pária dentro da própria delegacia, o que obviamente criou situações impagáveis.

Para o público mais antigo, Cabras da Peste segue muito a energia e o ritmo de Auto da Compadecida, de quase vinte anos atrás, curiosamente com o mesmo Matheus Nachtergaele na posição de número dois. Mas aí acabam as coincidências, pois agora Matheus, paulista, está mais paulista do que jamais foi, zoando os trejeitos e os sotaques de um povo que afirma categoricamente não ter sotaque. Excepcional. Melhor é curtir a brasilitude do longa, que já começa escrachando com Calor do Cão – versão brasileira Herber…..não, pera. Versão brasileira de Gaby Amarantos para “The heat is on”, de um tira da pesada, o que já faz toda a ambientação do longa nacional.

Publicidade
Publicidade

Mas muito se engana que Edmilson Filho se mira na atuação de Eddie Murphy como o inesquecível Axel Foley. Edmilson parece uma mistura do Didi Mocó do Renato Aragão com o Chicó de Selton Mello para criar o policial de fora perdido na cidade grande, mas arretado o suficiente para tirar do marasmo o pobre Trindade, num romance à brasileira, óbvio, com a cabra Celestina no meio. E se não bastasse a atuação da dupla, uma fotografia que foge do óbvio, o público ainda é brindado com o que deve ser a melhor atuação de Juliano Cazaré, azeitado ao lado de um elenco que funciona super bem.

Mais do que um alívio cômico, Cabras da Peste é aquele filme que faz bem para a alma, e diverte a ponto de doer a barriga de tanto rir para alguns, resgatando os bons tempos do cinema nacional, e ainda por cima dando destaque aos excelentes atores desconhecidos do grande público. Imperdível.  

Publicidade
Publicidade
Bene!

Escrito por Bene!

Um curioso acima de tudo. Amante das artes, busco viver sem rótulos e explorar o que a alma pede. Escrevo sobre o que gosto, amo, odeio, me faz pensar e me faz sentir. Espero que minhas ideias, palavras e ações sejam meu legado. Bem vindos e espero que gostem.