in

Cantora Cecília Beraba lança álbum em parceria e em homenagem a Jorge Mautner

Ana Lúcia Araújo: divulgação
Publicidade

O resultado da parceria dos últimos anos entre o multiartista Jorge Mautner e a cantora e compositora Cecília Beraba chega agora ao público, com o lançamento do álbum “Eterno Meio-dia – Parcerias com Jorge Mautner”. O trabalho faz um doce passeio literário pelas letras de Mautner, que foram sensivelmente musicados por Cecilia.

Entre outros temas, o disco traz uma homenagem ao grande parceiro de Mautner, que o acompanhou por mais de 40 anos, o violonista Nelson Jacobina. A exceção está na última canção do álbum, a bônus track “Eremita Erê”, que é uma afável homenagem de Cecília para Jorge.

Para Cecília, “Eterno Meio-Dia” é denominado como “uma grande catarse”.  A cantora define o novo álbum como resultado de um mergulho intenso, e que reflete o imenso amor que ela sente por seu ofício, a admiração que tem pelos colegas de profissão, e a força do sonho de viver a canção brasileira, que, como bem diz a própria artista, lhe acompanha desde que existe no tempo.

Publicidade
Publicidade

É um rito inicial que cumpri cercada por maravilhosas companhias que, assim como eu, têm fé nos laços e na poesia”, afirma Cecília.

O público ouvinte vai perceber como a parceria fica evidente, por exemplo em “Teresa e a Tristeza”. Os versos foram tirados de “Deus da Chuva e da Morte”, o primeiro livro de Mautner que data de 1962. Já “Esquadrão da Morte” se baseia em uma crônica que o cantor e compositor fez em uma notícia de um jornal nos anos 70. Outras duas faixas que chamam atenção foram escritas durante a pandemia: “Verdadeira Realeza, Corona” e “Religião é Consideração”. 

Com masterização e mixagem de Léo Moreira, o álbum foi gravado no extinto estúdio Maravilha 8, no Rio de Janeiro. A capa foi feita a partir de uma foto de Custódio Coimbra, grande fotógrafo com louvável passagem em diversos jornais, entre eles O Globo, e foi batizada de “Carnaval em Madureira”. O design, assinado por João Tolentino e Bruna Vieira, incorpora à imagem, segunda a cantora, o símbolo do Kaos – movimento cultural criado por Jorge Mautner nos anos 50.

Participaram do disco músicos como Marcelo Callado (bateria e percussões) Marcos Campello (guitarra e sintetizadores), Thomas Harres (tamborim), Antônio Guerra (piano), Rodrigo Sestrem (flauta e backing vocal), além das participações especiais de Léo Pinheiro, ente outros nomes.

O novo álbum de Cecília Beraba foi lançado nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Amazon e YouTube.

Publicidade
Publicidade
Alessandro Lo-Bianco

Escrito por Alessandro Lo-Bianco

Passou pelas redações da BandNews, Editora Abril, Jornal O Dia, Rádio CBN, Jornal O Globo e RecordTV. Autor de 11 livros, é atualmente colunista do programa A Tarde é Sua da Rede TV! Tem nove prêmios de Jornalismo, dois cachorros e é pai de menina.
Instagram: @AlessandroLoBianco