in

Filha adotiva de Agnaldo Timóteo também herdou os direitos autorais do cantor

Família, desta vez, não irá contestar, e vai respeitar o que está declarando no testamento

Isto É
Publicidade

A história da herança de Agnaldo Timóteo, falecido no último dia 3, vítima de complicações decorrentes da Covid-19, prossegue com mais uma revelação. Além de deixar 50% de tudo que tinha para sua filha adotiva Keyty Evelyn, de 14 anos, ela também herdou os direitos autorais do cantor nos seus 60 anos de carreira.

Segundo Timotinho, sobrinho e assessor de Agnaldo, eles mantinham uma relação de pai e filha, mesmo porque ele a adotou aos 2 anos.

Ele também revela que Keyty, de uma certa forma, já estava preparada para a morte do pai e teve que aceitar porque já tinha passado por um susto quando, em 2019, ele teve um AVC. Isso já tinha sido um baque para ela e os familiares foram pegos de surpresa. E como o cantor estava entre a vida e a morte, ela foi se preparando para o pior.

Publicidade
Publicidade

Timotinho também comenta sobre as notícias veiculadas de que a família do cantor não aceitava Keyty. Segundo ele, os irmãos de Agnaldo nunca mantiveram relações com a menina ou com a família dela. A relação era apenas com o Agnaldo e mais ninguém.

No que diz respeito à herança, os irmãos e demais filhos decidiram não contestar e respeitar o que está declarado no testamento, segundo o desejo do cantor.

Além de uma casa no Rio de Janeiro, Agnaldo tinha também outras propriedades como terrenos em Cabo Frio, um apartamento em São Paulo e salas comerciais em Copacabana, zona sul carioca.

Após encerrar a história do testamento, os familiares irão decidir o que fazer com o acervo deixado pelo cantor.

Publicidade
Publicidade
Publicidade