in

Resumo Ouro Verde (13/08): Miguel flagra Jorge e Bia em momento de carinho

Band
Publicidade

Em Ouro Verde, na Band, no capítulo de terça-feira, 13 de agosto, Miguel presencia cena de carinho entre Jorge e Bia.

Ainda no capítulo, Jorge se prepara para sair da fazenda, pois está de viagem marcada para Portugal, quando Laurentino chega acompanhado de seus homens. Em seguida, o fazendeiro acusa Jorge de ser o responsável pelo roubo dos seus bois.

Publicidade

Jorge, cansado de Laurentino, resolve declarar guerra ao inimigo. O fazendeiro o ameaça, alegando que se ele não lhe deixar em paz, pois só quer que ele se mantenha longe, os dois terão grandes problemas pela frente.

Durante a examinação que faz em Salvador, que acabou de acordar do coma, Tiago percebe que o rapaz não está sentindo a mão direita. Salvador, mesmo tendo passado por um grande susto em sua vida, pergunta sobre o sua irmã, Mafalda.

Publicidade

Tiago consola Bia

Mônica, para não deixá-lo passar por um estresse, resolve mentir para ele, omitindo o fato de que sua irmã está morta. A médica diz que Mafalda fez uma viagem. Bia é consolada por Tiago, que lhe abraça. Mônica pede que Otelo lhe ajude a descobrir quem está por trás daquilo tudo.

Depois de ligar para Inês, Edu resolve retornar para Lisboa. Conversando com Joaquim, Lúcio garante que só vai descansar depois de descobrir quem é mandante de tudo. Lendo os códigos do caderno de Pezão, Lúcio chega a conclusão de que eles correspondem a datas.

Jorge chega ao funeral de Mafalda

Nenem se mostra surpresa com decisão de Jorge em ir ao funeral de Mafalda. Durante o velório, Jorge aparece e causa estranheza em Miguel, que o flagra em um momento de carinho com Bia.

Publicidade
Avatar

Escrito por Rômulo NC

Ator, youtuber e redator, Rômulo N.C é formado pela casa de artes cênicas Recriarte e sempre atuou como escritor de diversos sites.

Next post

Malhação: Marco se surpreende com notícia de Anjinha, que dispara: ‘Tô grávida’

Resumo O Rico e Lázaro (13/08): Abel, Asher, Joana e Zac ficam em desespero